segunda-feira, 5 de Julho de 2010

Teoria da mudança: ajuda os empreendedores sociais a desenharem o caminho


É aceite, na generalidade das sociedades, que o termo entrepreneur define uma atitude perante a vida, uma forma de estar que se apresenta como uma peça indispensável para o progresso económico, mas também para o desenvolvimento social e cultural. Existem muitas correntes de pensamento com ênfases distintas nas capacidades do empreendedor: de arriscar, de inovar e, em alguns casos, de criar novos negócios. É essa capacidade que lhe confere o poder de geração de valor para a cadeia produtiva e social, esteja o empreendedor à frente de negócios com fins lucrativos ou em organizações não-governamentais, o chamado empreendedor social (ver o meu post A emergência do empreendedorismo social: o empreendedor social como agente criativo de mudança

Actualmente, o empreendedorismo social apresenta-se como um conceito em desenvolvimento, mas com características, princípios e valores próprios, sinalizando diferenças entre uma gestão social tradicional e uma empreendedora. O empreendedorismo social surge como uma forma de solucionar problemas de pobreza e exclusão social. Inicialmente era uma derivação do empreendedorismo empresarial e foi fortemente influenciado pela acção das empresas privadas no campo social e público, assumindo, contudo, as suas próprias estratégias, num contexto de crescimento do terceiro sector e da necessidade e procura de acções de grande impacto e mudanças efectivas (Oliveira, 2004).

No epicentro deste cenário surgem novos paradigmas que propõem uma abordagem diferenciada permitindo descortinar elementos contidos na complexidade dos fenómenos sócio-económicos, como é o caso da Teoria da Mudança.

A Teoria da Mudança é uma metodologia, um conjunto de directrizes, que orientam os empreendedores sociais a concretizar o seu objectivo último – mudança social. Os empreendedores sociais fazem um mapeamento dos requisitos e condições necessárias para o seu fim, e desenvolvem indicadores para medir os progressos e resultados, avaliando assim o desempenho da sua iniciativa de mudança.

O processo de inovação social alia teoria, prática, avaliação, revisão e replicação. Um empreendedor social usa o modelo teórico de mudança como um pensamento que orientará o conjunto da sua acção para alcançar com sucesso os seus objectivos. Assim, a teoria da mudança deve ser submetida a uma validação empírica e a uma demonstração do seu impacto social.

Um dos princípios fundamentais porque se regem os empreendedores sociais é a estratégia, aplicando ideias práticas a problemas sociais, apresentando propostas verdadeiramente inovadoras num quadro de novas abordagens a esses problemas, num compromisso de sustentabilidade.

Para saber mais sobre a Teoria da mudança que fornece as ferramentas necessárias e ajuda a traçar o caminho que os empreendedores sociais devem seguir, veja:

Teoria da Mudança

The Enterprise's Theory of Change

O poder das teorias da mudança

OLIVEIRA, Edson Marques (2004),Empreendedorismo social no Brasil: actual configuração, perspectivas e desafios.

Sem comentários:

Enviar um comentário